levitra

| Blogspocc

POESIA – Fernanda Garcia

UTOPIA

de tanto gostar

tenho medo de perder

o novo assusta

amar é estado

felicidade é utopia

e ainda ontem não te conhecia

hoje já te sinto

os caminhos que se descruzaram por toda vida

hoje se encontram

no momento certo e tão esperado

fique por aqui enquanto for bom

e que seja bom para ambos

que os sorrisos nunca se apaguem

que os olhares sempre se comuniquem

e o companheirismo caminhe ao lado do respeito

mas que o afeto seja o conforto da volta

que seja intenso

que seja real

que seja simples

que seja poesia

que seja eu

que seja você

que seja nós

que seja um amor só nosso

 

 

PEITO ABERTO

quando você vem me ver?

sinto sua falta.

meu peito chora quando lembro do seu rosto.

meus olhos se enchem de lágrimas

quando lembro de nós dois

juntos à beira do mar

escrevíamos poesias

sobre o tal amor

que nunca soubemos explicar

nunca foi meu desejo

que tal sentimento

tivesse tamanha proporção que hoje tem

meus medos sempre foram

que acontecesse novamente

o que hoje acontece mais uma vez

e que eu fosse protagonista desse filme com close no fim

esse poema não fala de mim

não fala de você

esse poema fala do tal sentimento

nunca saberia traduzir

todavia hoje não consigo mentir

a máscara caiu, e aceito-o

saiba que nunca foi fácil falar sobre tal

nunca foi simples e não está sendo

porém confio em você

em seu olhar

faça-me o favor,

não julgue-me

sinto sim

saudades dos bons momentos compartilhados

sinto sim

saudades do seu cheiro

sinto sim

ausência da sua pele na minha pele

sinto sim

carência do seu abraço apertado e sincero

sinto sim

sede do seu beijo infinito

não quero não

o ponto final do nosso longa-metragem (ao menos hoje)

sim quero sim

largar essa zona de conforto

que chamamos de “amor livre”

sim somos sim

livres para unirmos nossos corpos e sentimentos

nada que nesse poema foi escrito tem o intuito de intervir em suas decisões

quero que sejas feliz

seja como

seja com quem

seja lá

onde for

quero que sempre escolhas o melhor para ti

mas todavia

não poderia me acovardar

e nunca lhe dizer tais coisas

é pretin

do nosso estranho amor

a gente é quem sabe,

 

 

AMOR SUJEITO

quero ser a sua poesia

me perder em cada linha dos seus versos

ser sua inspiração de escrever

ser a emoção das suas palavras

porque és tu quem hamorniza meus parágrafos

me inspiro e escrevo

palavras sentidas à ti

tu és o encontro do sujeito e o verbo

tu (sujeito) és (tu) amar (verbo)